FUTURO DA VOLEISUL/PAQUETÁ ESPORTES ESTÁ NAS MÃOS DE PATROCINADORES

Passado pouco mais de um mês da conquista do vice-campeonato da Superliga Masculina B de Vôlei, a diretoria da Voleisul/Paquetá Esportes segue em constantes reuniões a fim de definir os rumos da equipe para a temporada 2014/2015. O primeiro compromisso oficial o campeonato gaúcho, no segundo semestre. Depois será a vez da disputa nacional. “Trabalhamos com base no nosso planejamento estratégico que tem como meta estar entre as quatro melhores equipes do vôlei brasileiro em 2017”, recorda o técnico Gilson Bernardo, o Gilson “Mão de Pilão”. “Queremos dar continuidade ao projeto iniciado em dezembro passado, que foi muito bem recebido por todos que gostam de vôlei e que, em pouco tempo, alcançou um resultado de destaque no cenário nacional”, completou.

O atual desafio da direção da Voleisul/Paquetá Esportes é definir os parceiros que estarão ao lado da Paquetá Esportes na próxima temporada para que o orçamento da equipe fique determinado e o trabalho de contratação de atletas possa ser feito. “Nós já mostramos que temos um projeto sólido e que foi abraçado por toda a comunidade do Vale dos Sinos de uma forma muito positiva”, salienta o diretor executivo da equipe, Tiago Peter Hoefelmann.

PREFEITURA – Além de buscar o apoio junto a empresas do setor privado, e não só da região de Novo Hamburgo, a diretoria da Voleisul/Paquetá Esportes estuda a parceria com o executivo municipal. “É interessante observar que cerca de 80% das equipes que disputaram a Superliga Masculina, tanto na série A, como na série B, contam com o patrocínio da prefeitura local”, diz Tiago. “Esta é uma parceria possível, porque as equipes de vôlei levam para o cenário nacional o nome do município que representam”, completa.

ATÉ JULHO – Embora as datas das competições estadual e nacional ainda não estejam determinadas, a direção da Voleisul/Paquetá Esportes trabalha com prazo curto para a tomada de decisões. “O ideal é que tenhamos a base do grupo de jogadores definida até julho”, assegura Tiago. Uma das razões é para ter um tempo mais adequado de preparação. A outra está relacionada ao movimento típico do mercado de jogadores no período entre campeonatos importantes.

SUPERLIGA A – De acordo com Tiago, a possibilidade de buscar uma vaga na Superliga A, ainda na temporada 2014/2015, passa necessariamente pela definição de orçamento e, em consequência, do grupo de trabalho. “Se quisermos pensar na divisão de elite do vôlei brasileiro, temos que trabalhar com uma folha de pagamento que seja cinco vezes maior do que a que tivemos para a disputa da Superliga B”, projeta o diretor.

Na campanha do vice-campeonato da Superliga B, título conquistado no dia 12 de abril, a Voleisul contou com o patrocínio da Paquetá Esportes, Diadora, Doctor Clin, Flytour e Sollus e apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

créditos:Daniel Nunes/Divulgação - Arquivo