VOLEISUL/PAQUETÁ ESPORTES ENTRA COM PEDIDO DE IMPUGNAÇÃO DO JOGO DE TERÇA-FEIRA CONTRA O SADA CONTAGEM

A Voleisul/Paquetá Esportes enviou pedido de impugnação da partida disputada na noite do dia 18 de março, quando foi derrotada pelo Sada Contagem (MG), em Minas Gerais, por 3 sets a 1, perdendo a chance de disputar o título da Superliga Masculina B de Vôlei. O pedido foi feito com base no Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e no Regulamento da Superliga Série B 2014. A documentação foi encaminhada na manhã desta quinta-feira,  20 para a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), dentro do prazo, quando o técnico Gilson Bernardo, o Gilson “Mão de Pilão”, e a advogada Jaqueline Bozko, representando a Voleisul/Paquetá Esportes, reuniram-se com o presidente da Federação Gaúcha de Vôlei (FGV), Carlos Alberto Cimino, na sede da entidade, em Porto Alegre.

O pedido de impugnação da partida se deve a fato de que dois atletas do Sada, o ponteiro Kadu e o levantador Lucas Salim, não teriam condições regular de jogo para atuar na terceira e decisiva partida do playoff semifinal da Superliga B. Os dois atletas também estão inscritos na equipe do Sada Cruzeiro, que está nas semifinais da Superliga A. De acordo com Parágrafo Único do Artigo 25 do Regulamento Oficial da Superliga Série B 2014, “após o dia 09.03.2014, caso o clube da Superliga Masculina Série B conceda o retorno dos atletas para o clube da Superliga Masculina 13-14, estes atletas não terão direito a retornar para a Superliga Série B”. Kadu e Lucas Salim participaram da vitória do Sada Cruzeiro sobre o Moda Maringá (PR), por 3 a 1, no dia 13 de março.

Ainda na quarta-feira,  19, dia seguinte à derrota para o Sada (MG) no playoff das semifinais, a direção e o departamento jurídico da Voleisul/Paquetá Esportes solicitou à Federação Gaúcha de Vôlei que realizasse uma consulta ao Departamento Técnico de Competições de Quadra da Confederação Brasileira de Vôlei sobre a condição de jogo dos dois atletas e a desclassificação da equipe mineira por infração disciplinar. A CBV, em resposta por meio de emails, não atendeu o pleito da equipe gaúcha de impugnar a partida e, consequentemente, desclassificar o Sada Contagem por infração disciplinar nos termos do regulamento da Superliga B e do CBJD (art.214,§ 2º).

De acordo com o presidente da FGV, Carlos Alberto Cimino, o descumprimento do regulamento e a forma como foi feita a resposta da Confederação “demonstra como está desmoronando a estrutura autoritária montada na CBV”.

O técnico Gilson Mão de Pilão esteve na sede da FGV na manhã desta quinta-feira,  20, a fim de acompanhar os acontecimentos. “Esta questão está sendo tratada pelo departamento jurídico da Voleisul/Paquetá Esportes, juntamente com a Federação Gaúcha de Vôlei. Eu seguirei realizando o trabalho em quadra”, afirmou. A equipe voltou a treinar nesta quinta-feira, na Sociedade Ginástica  Novo Hamburgo, em dois turnos.

Além da Paquetá Esportes, a Voleisul tem patrocínio de Sollus e de Doctor Clin e apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.