História do G.B. Floriano – Parte Final

Foi novamente em um domingo, em data não devidamente registrada, porém, novamente após o culto e a missa.
Iniciou-se novamente ás 10 horas, jogando as primeiras bolas o bolonistas Carlos Engel, o qual sem dúvidas, fez nas 10 primeiras bolas jogadas 90 pinos, repetindo a mesma quantidade de pinos derrubados o bolonistas da Ginástica, ou seja, igualmente 90 pinos, segue.
Ao término do torneio, após terem jogado 100 bolas cada um, não se sabe até hoje se foi por descuido ou nervosismo, Carlos Engel perdeu o torneio para o bolonista Norberto Blauth, o qual, apesar de estar sangrando em um dos dedos, Norberto Blauth ganhou a competição pela diferença de 1 (um) pino, ou seja:
Norberto Blauth – Jogou 200 bolas e fez 1800 pinos
Carlos Engel – Jogou 200 bolas e fez 1799 pinos
A festa se iniciou com a premiação ao melhor o qual recebeu um troféu ricamente ornamentado e após foi servido um suculento churrasco com chopp o qual foi totalmente pago pelos perdedores, ou seja, pelos bolonistas da Sociedade de Canto Frohsin.
Jamais Norberto Blauth, segundo nos informou sua filha Ida Schmitt, divulgou ser o melhor bolonista de Novo Hamburgo, na época, mas, sim afirmava constantemente que ele está entre os cinco melhores.
Astor Cassel – 10 de Abril de 2003.
Foto extraída do Grupo “NOVO HAMBURGO – MEMÓRIAS” no Facebook, onde aparece um grupo de bolonistas de Novo Hamburgo na década de 1910.